Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Casa Misteriosa" de Marzia Bisognin

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 11 de março de 2015
Autora: Mary MacCraken
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 224
Editor: Vogais
ISBN: 9789896683412

Sinopse:
Mary MacCracken, professora especializada em distúrbios de aprendizagem, colocava sérias reservas em receber na sua sala uma nova aluna, Hannah, de 8 anos. Os três rapazes de que se ocupava estavam a fazer progressos assinaláveis e a vinda de Hannah, considerada imensamente problemática, poderia deitar por terra todos esses avanços.
Nas duas primeiras semanas, Hannah refugiou-se num armário, recusando-se a sair. Os seus berros constantes compunham um quadro com os piores sintomas que Mary alguma vez vira.
Como poderia a professora ajudar uma criança habituada a ser tratada como um animal, enclausurada na própria casa e espancada pelo pai e o irmão? O que poderia dizer e o que haveria de fazer para ajudar aquela menina perdida?
Reconhecendo a enorme força interior que habitava no fundo de Hannah, Mary dedicou todo o seu amor, paciência e engenho a uma longa e incrível viagem de recuperação que encetou com a sua aluna.
Esta é a comovente história real de Hannah, uma criança maltratada, perdida num mundo de sofrimento e solidão, e da professora extraordinária que a conseguiu resgatar para a vida.


Opinião:
Já antes tinha lido um livro desta autora, por isso não resisti quando soube que iria sair outro. Mary MacCracken tornara-se professora especializada em distúrbios de aprendizagem mesmo antes de existir tal termo. Começando por um pequeno trabalho de voluntariado que acabara por significar muito mais para si do que apenas isso, MacCracken acabara por descobrir ter uma verdadeira vocação para aquele trabalho, além de adorar cuidar daquelas crianças.

Após um ano de ter descoberto a sua nova paixão, Mary tornara-se professora a tempo inteiro, um trabalho que acaba por ser complicado, pois descobre a sua vocação quando começa a ser obrigatório um certificado para educar crianças com distúrbios de aprendizagem. Neste novo ano Mary continua com três antigos alunos seus. Crianças que já haviam aprendido muito naquele último ano e cujos progressos não paravam de a surpreender. Esperançosa que a sua turma continuasse a desenvolver-se a um bom ritmo, essas esperanças caiem por terra quando recebe Hannah, uma das raparigas mais difíceis de toda a escola.

Hannah, apesar dos seus 8 anos de idade, não falava, comunicando por gritos e um grande mau temperamento. Gritava, atirava coisas ao ar, atacava quem se aproximava de si e gostava de ter o seu próprio espaço, sem outras pessoas a invadi-lo. Levava sempre o seu próprio almoço, que comia rapidamente e de apenas uma dentada, como se tivesse medo que alguém repentinamente lhe assaltasse a refeição.

Um novo desafio que Mary abraçou de imediato, acabando por descobrir um novo "Amor", o termo carinhoso que utilizava para Hannah, uma rapariga que acabara por a conquistar totalmente.

Mais uma vez um livro que me surpreendeu. Esta é uma daquelas autora que, para além de ter jeito para cuidar de crianças, tem imenso jeito para a escrita. Sabe escrever e projetar os seus sentimentos como ninguém e acaba por ser esse o ingrediente de todos os livros. Todos sabemos que hoje em dia existem vários livros dentro deste género, mas, na minha opinião, o facto de Mary ter começado a partir de voluntariado, num salto de fé e de ter iniciado o trabalho nesta área numa altura em que não existiam muitas pessoas a conhecê-la, acaba por ser muito importante, tornando esta autora uma das melhores dentro deste tipo de literatura.

A relação de Mary com Hannah foi muitíssimo bem explicada e, sendo o livro do ponto de vista de Mary (afinal estamos a falar praticamente de uma autobiografia), acabamos por entrar profundamente na verdadeira relação que estas têm, torcendo para que estas se dêem bem e para que Hannah se desenvolva emocionalmente.

Um livro que gostei e que aconselho!

0 devaneios :