Quem sou eu?

A minha foto

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Jaula do Rei" de Victoria Aveyard

Passatempo

Passatempo
Até 11 de Novembro!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 13 de maio de 2018
Autora: Sarah Lark
ISBN: 9789897540134
Edição ou reimpressão: 04-2014
Editor: Marcador
Páginas: 684

Sinopse:
Londres, 1852. Duas raparigas empreendem uma viagem de barco rumo à Nova Zelândia e tornam-se amigas. Trata-se, para ambas, do início de uma nova vida como futuras esposas de dois homens que conhecem apenas por correspondência. É o começo de uma nova vida com homens que não conhecem. Gwyneira, de origem nobre, está prometida ao filho de um magnata da criação de ovelhas, enquanto Helen, uma jovem perceptora, parte para se casar com um fazendeiro. Procuram encontrar a felicidade num país que promete ser o paraíso. No entanto, as ilusões de ambas depressa se esfumam, principalmente quando descobrem que a sua amizade está em perigo porque os maridos são inimigos.
Gwyneira e Helen são mais fortes do que acreditavam ser e rompem com os preconceitos e as restrições da sociedade onde vivem, mas serão capazes de alcançar o amor e a felicidade do outro lado do mundo?


Opinião:
Este livro já saiu há quatro anos, e apesar de nunca ter ido a correr comprá-lo, estive sempre de olho nele. A capa é lindíssima e a sinopse relembra-me várias autoras que sempre gostei. Dessa forma não me contive a ler este livro assim que mo emprestaram.

Helen sente que a vida lhe está a escapar por entre os dedos. Sendo tutora, sabe que nunca irá casar e ter filhos, como sempre sonhara. Até que, após responder a um "anúncio", começa a receber cartas românticas de um agricultor da Nova Zelândia, uma das novas terras descobertas que ainda mal se encontra colonizada. Ao sentir o amor que vinha dessas cartas e ao ver o seu futuro tão triste onde estava, acaba por ganhar coragem e empreender numa viagem que poderia mudar toda a sua vida.

Mas esta não é a única nessa viagem. Helen acompanha diversas crianças e adolescentes que serão empregadas nas casas mais ricas da Nova Zelândia e também encontra uma nova amiga, Gwyneira, filha de uma grande família que se encontra cada vez mais pobre e que quer voltar a brilhar utilizando assim a filha como moeda de troca. Apesar de não se ter visto muito feliz com a troca, Gwyneira adora saber que nesta nova terra poderá ser livre, andar no seu cavalo livremente e ser ela mesma...

Duas personagens com um passado muito diferente e um futuro ainda mais discrepante, mas que acabam por criar uma forte amizade que as une e ajuda numa terra estranha, pouco colonizada e com uns costumes bem diferentes dos seus.

Um livro muitíssimo bem escrito, com cenas românticas, divertidas, violentas, tristes... tem de tudo este livro. Foi uma narrativa que não me deixou indiferente, que me conseguiu pôr as emoções à flor da pele e adorei ambas as personagens. Admito que gostei mais de Gwyneira, a sua rebeldia conseguiu prender-me e queria saber sempre mais da sua história. Já Helen foi uma personagem de quem eu sentia mesmo pena... Tantas esperanças e sonhos que foram destruídos de repente, mas mesmo assim ela arranjava sempre algo para tornar tudo melhor e mais positivo.

Uma narrativa que adorei, uma autora que não conhecia e de quem, agora, quero ler mais coisas. Recomendo!!

0 devaneios :