Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Prometes Amar-me?" de Monica Murphy

Passatempo

Passatempo
Até 23 de Julho

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 16 de abril de 2011
Autor: Scott Westerfeld
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 288
Editor: Vogais
ISBN: 9789896680145
Coleção: Uglies

Sinopse:
Tally Youngblood pensou que tudo não passava de um rumor, mas agora é uma Especial.Uma máquina de luta criada para controlar os Imperfeitos e manter os Perfeitos na maior ignorância.Ser programada de forma perfeita, com uma força extraordinária e um único propósito, talvez não seja a melhor coisa que lhe podia ter acontecido. Tally ainda tem memórias de algo mais. Tem sido fácil ignorá-las, até que lhe é oferecida a possibilidade de exterminar os rebeldes do Novo Fumo para sempre. Tudo se resumirá a uma escolha final: seguir aquele longínquo bater do coração ou levar a cabo a missão para a qual a conceberam.


Opinião:
Este é o terceiro livro da Tetralogia Uglies. Começando onde o anterior terminou, Tally é agora uma Especial... aliás, podemos afirmar que ela é especial até mesmo para Especial, pertencendo a uma classe crianda quase que apenas para si e mais uns quantos. Uma especial cuja missão está pré-destinada. Ser especial é estar mais viva, mais destemida e muito mais forte!! Mas algo de estranho se passa... memórias assombram-na, mostram como algo no seu passado ainda a persegue, como precisa e quer algo que tinha no passado que agora não tem...

É então que ela e Shay, a sua suposta melhor amiga, decidem acabar de vez com todas as suas divergências entre elas acabando de vez com os rebeldes do Novo Fumo, a fim de terminarem com todos os problemas por estes causados! Mas as coisas não são tão simples, à medida que Tally começa a sentir que as suas memórias não são reais, que o mundo é mais do que aquela eterna sensação de perfeição e poder que sente, que é aquela sensação de liberdade e de ser único que não existe no seu mundinho perfeito.

Eu tenho vindo a gostar cada vez mais deste autor de livro para livro. Ele consegue de uma forma única colocar nos seus livros imensos problemas que existem na sociedade nos dias de hoje e criticá-la de uma forma fantasiosa e única, mas muitíssimo real e que nos faz pensar bem no que fazemos e como agimos. Além disso a sua escrita tem vindo a melhorar e a tornar-se cada vez mais viciante, aprofundando as diversas personagens dos seus livros e mostrando partes humanas, sentimentos e dúvidas que existem em qualquer pessoa. Este livro embora não seja tão romântico como os anteriores, centrando-se mais em lutas e batalhas, não deixa de ser único e com um significado especial em cada uma dessas batalhas!

Uma coisa que gostei imenso da parte do autor foi ele admitir a sua melhoria na escrita devido à leitura de críticas feitas pelos leitores. O que ele eliminou essencialmente? A tal irritante expressão "borbulhante" que tanto me começou a enfurecer durante a leitura do segundo volume desta saga! Como tinha referido na crítica a esse livro, adorei o livro, mas a expressão começara a irritar-me profundamente. Uma boa atitude da parte dele que nem todos teriam.

Fiquei cheia de vontade de ler o próxima (e último) volume desta saga, especialmente depois do final empolgante deste livrinho! Sem dúvida que aconselho este livro a todos os que já lerem os anteriores!

0 devaneios :