Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 25 de fevereiro de 2012
Autor: Stephen King
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 552
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722523363

Sinopse:
Stephen King surpreende-nos uma vez mais com a originalidade das suas histórias e o seu talento como escritor. Estações diferentes é uma coleção de quatro novelas, três das quais foram adaptadas ao cinema.
Os Condenados de Shawshank narra a história de um homem inocente que concebe um esquema para fugir da prisão.
Na segunda novela, Aluno dotado, adaptado ao cinema com o título Sob Chantagem, King apresenta-nos um menino exemplar que desafia um velho sombrio a despertar consigo um mal há muito enterrado.
Em O Corpo, adaptado ao cinema com o título Conta Comigo, quatro rapazes aventuram-se nos bosques e a sua viagem acaba por tornar-se um ritual de passagem da infância à maturidade, e de perda da inocência.
A Técnica da Respiração é uma história macabra acerca de uma mulher determinada a dar a luz e que, para isso, mantém o seu bebé vivo nas circunstâncias mais extraordinárias.


Opinião:
Nunca tinha lido nada de Stephen King. Sim, tenho um livro dele cá em casa e é um autor muito falado e cuja curiosidade por ler algo dele aumentava cada vez mais, essencialmente devido às críticas que lia às suas obras. Mas nunca tinha dito aquele instinto de "tenho que ler um livro dele de imediato!". Mas esse instituto está a começar a manifestar-se após ter lido estes quatro contos do autor.
 
Este livro contém, como já referi, quatro contos, separados de uma forma deveras engraçada, por estações do ano. Três destes contos já tiveram adaptação ao grande ecrã e um deles tenho mesmo que ver o filme pois adorei o  conto. Estou a referir-me ao segundo, Aluno dotado.

O primeiro conto neste livro deve ser um dos filmes mais conhecidos de todos os tempos, Os Condenados de Shawshank, uma história que embora eu já tivesse visto o filme, desconhecia que este era inspirado num conto de Stephen King, o que só serviu para aumentar a minha admiração por este autor. Este é um conto que dispensa muitas apresentações devido ao filme, que é considerado uma das melhores adaptações literárias de sempre e também um dos melhores filmes que já se fez na história do cinema. Eu já não vejo o filme há vários anos, por isso a minha memória é má em relação a este, mas tenho a sensação de que embora seja uma adapatação muito boa, o conto continua a ser melhor, sendo o seu grande trunfo o facto de este ser narrado por "Red", um homem que arranja de tudo na prisão em troco de algo e que conhece um prisioneiro deveras diferente do normal, falando da sua experiência ao relacionar-se com este. Esta experiência é narrada vários anos após a experiência em si, o que significa que a memória do narrador já não é a melhor e há determinados pormenores que o narrador apenas se lembra passado algum tempo o que dá um toque especial e muito real a toda a história.

O segundo conto, o melhor de todos e que me envolveu mais, tem o nome  de Aluno dotado e é sobre um rapaz muito inteligente que ao descobrir revistas sobre a segunda guerra mundial, acaba por adorar o tema, lendo imenso sobre este e tornando-se, pode-se mesmo afirmar, um perito sobre o tema. Conhecendo caras e nomes de diversos homens que pertenceram aos SS naquele tempo, o rapaz de seu nome Todd Bowden, encontra um homem, já idoso que mora no seu bairro, que se parece tal e qual um desses homens que pertenceram aos SS. O idoso, de seu nome Kurt Dussander, tentou fazer de tudo para se manter longe de quem quer e o que quer que o fizesse ser reconhecido, tornando-se um velho embirrento e amargurado. Ao encontrar-se com o jovem Todd, fica preso com as ameaças que o rapaz lhe faz, que o ameaça de que caso não lhe conte tudo sobre aqueles dias sobrios iria revelar ao mundo quem ele era. Mas as histórias são demasiado tenebrosas e obscuras para serem relembradas, trazendo pesadelos não só para Kurt, o contador, mas também para o jovem Todd, sendo a sua curiosidade um bem demasiado cruel.

Como terceiro conto temos O Corpo, que é provavelemente o conto que menos me marcou em todo o livro, embora para mim seja o conto mais "humano" de todo o livro, sendo um conto cujo tema principal é a amizade, a cumplicidade e a perda da inocência. Conta a aventura de quatro grandes amigos na busca para encontrarem um corpo que um destes ouviu que se encontrava no fundo da grande floresta mesmo ao pé das suas casas. São amigos muito diferentes entre si, especialmente devido às suas experiências pessoais e familiares e é isso que torna o conto muito interessante e fascinante. Todos têm diferentes percepções do que é chato, divertido, perigoso, fascinante... Todos pensam de forma diferente no futuro e de como este se vai desenrolar.

Por fim, o último conto, de seu nome A Técnica da Respiração, é o conto mais sombrio e que mais se identifica com o que eu oiço dos livros do autor, ou seja, este é o verdadeiro conto de terror em todo o livro. Neste conto encontramo-nos num clube demasiado estranho e curioso, onde fazer parte do clube é simplesmente comparecer e dar-se com as pessoas. É então que num dia estranho no clube como qualquer outro, um homem decide contar uma história.
Numa época em que ser mãe solteira e trabalhadora era algo mais que imprório, sendo a pessoa de imediato considerada um prostituta barata, uma bela e inteligente rapariga engravida, tendo o pai do seu filho fugido quando soube a notícia. Decidida a levar a cabo a gravidez e com a ajuda do seu médico, um homem que fica deveras admirado com a determinação e toda a maneira de ser desta simples mulher, aprende a técnica de respiração, algo que não era muito utilizado naquela altura (a técnica de respiração que estou a falar é a que todas as grávidas usam nos dias de hoje). Este é um conto cheio de preconceitos, de cujo final embora dramático pode ensinarmos inúmeras coisas.

Um livro que me surpreendeu e foi uma boa estreia na escrita do autor. Sem dúvida que recomendo!

0 devaneios :