Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 17 de dezembro de 2013
Autora: Amanda Hocking
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 272
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892318172

Sinopse:
Aos seis anos Wendy escapa à morte quase por milagre - e quem a tenta matar é a própria mãe, acha que a filha não é sua, mas sim uma intrusa, trocada à nascença no hospital. Onze anos mais tarde, a estranha adolescente, de cabelos negros, começa a suspeitar de que a mãe, se calhar, até tinha razão. Na nova escola, mais uma entre tantas, ela sente-se posta à parte por todos. Menos por Finn Holmes, um rapaz silencioso e sombrio que se limita a olhá-la fixamente - e lhe desperta sentimentos contraditórios, um medo enorme, e uma irresistível atração. Finn é um Achador, que a procura há anos. E agora que a encontrou, quer levá-la para casa, para o reino dos Trylle, onde Wendy vai descobrir o que sempre suspeitou - ela é mesmo diferente, e tem poderes mentais muito mais poderosos do alguma vez imaginara. 


Opinião:
Devo dizer que a capa deste livro me chamou a atenção logo desde o início. Era uma capa diferente e o sombreado em redor do nome, lindo. Um livro que não precisei de ler a sinopse para saber que o queria ler brevemente e tudo por causa da capa. Mas ainda demorei algum tempo a lê-lo, em parte porque sabia que este livro remetia a uma leitura mais juvenil e não me andava a apetecer muito esse género de livro.

Wendy vive apenas com o irmão e os tios. Um irmão que a adora e que faz tudo por ela. Um irmão que praticamente renegou a própria mãe para a proteger. Aos seis anos de idade a mãe, que desde que ela nascera afirmara que aquela não era a sua filha, chateia-se de tal maneira com ela que a tenta matar, afirmando constantemente que estava a fazer aquilo por aquela não ser a sua filha e querer o seu filho do sexo masculino que tinha dado à luz. Fechada há anos num manicómio, por continuar a jurar a pés juntos que aquela não era a sua filha, Wendy começa a pensar que talvez a mãe não estivesse assim tão enganada.

Essa sensação começa quando um estranho rapaz a começa a perseguir a fim de lhe contar que as coisas estranhas que acontecem em seu redor são criadas por ela e que tudo isso se deve ao seu poder por ser nada mais nada menos do que um troll. Os trolls vivem devido à troca de famílias. Os bebés trolls são trocados por bebés humanos de famílias ricas e influentes e quando crescem e ficam herdeiros das famílias regressam para junto dos trolls, levando as fortunas consigo.

Este é um livro engraçado, embora não seja nada de outro mundo. Achei imensa graça a toda a dinâmica dos trolls, sendo que a autora se inspirou em algumas histórias já conhecidas e as juntou, acabando por as embelezar e, através da sua escrita, por as trazer de novo à vida. Wendy é uma jovem inteligente e amada por quem a conhece que apenas quer integrar-se bem, mas cujos sonhos de integração mudam repentinamente ao entrar num novo mundo onde as regras praticamente não se aplicam a si, a princesa.

A escrita da autora é simples e fluída, ideal para a faixa etária a que se destina este livro, sendo uma leitura rápida e divertida. Aconselho, mas especialmente para alguém mais jovem, pois embora eu tenha curiosidade em ler os próximos, não é propriamente uma questão de vida ou de morte, por assim dizer.

2 devaneios :

Sofia Araújo disse...

Já li e não gostei muito por isso não fiquei com vontade de ler os restantes...

v_crazy_girl disse...

Eu por acaso fiquei com vontade, mas que é um livro mmuuiittoo juvenil é, para uma faixa etária de 13/14anos :)