Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 24 de setembro de 2014
Autor: Anders De La Motte
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 400
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722528061

Sinopse:
Henrik «HP» está em fuga. Passaram-se catorze meses desde que ele se tornou prisioneiro de um Jogo de Realidade Alternativa que quase lhe acabou com a vida. Agora tem tudo aquilo que deseja: dinheiro, liberdade e um mínimo de responsabilidades. Mas, apesar de tudo isto, não está satisfeito. Sente falta da adrenalina e o seu novo estilo de vida aborrece-o. Quando conhece a bonita e rica Anna Argos num hotel luxuoso do Dubai, a vida torna-se logo mais interessante. Mas há alguma coisa inquietante debaixo da superfície calma de Anna. E passa-se alguma coisa estranha com o telemóvel dela…
Para Rebecca, a vida devia ser mais fácil agora que o seu passado já não a persegue. Acaba de ser promovida novamente e está prestes a ir viver com o namorado. Mas, apesar disso, está com dificuldade em assentar. Tudo muda quando toma conhecimento de um fórum na Internet onde um detetive anónimo escreve histórias ameaçadora que são claramente acerca dela.
À medida que o cerco se vai fechando sobre HP e Rebecca, as questões vão surgindo. O que é real? Em quem se pode confiar? E como é que uma pessoa se protege de uma ameaça cuja existência não se pode provar?


Opinião:
Após ter lido o primeiro livro desta trilogia, um livro que se foi construindo lentamente mas cuja escrita leve e prática me prendera do início ao fim, queria imenso saber o que iria acontecer. Foi dessa forma que, após este livro sair, a curiosidade de o ler era muitíssimo grande. Ainda bem que o fiz, pois achei-o bem melhor do que o primeiro, mais emocionante, com mais ligação às personagens e uma narrativa com mais momentos engraçados e apesar de toda a pressão existente, momentos mais leves.

HP continua em fuga. Sabe que se o Jogo o apanhar há uma grande probabilidade de o matarem de imediato. E isto, claro, se tiver sorte, pois a tortura pode muito bem estar incluída no pacote. A sorte de HP é que no livro anterior conseguira ficar com os diversos milhões que lhe haviam sido prometidos, embora ele não tivesse feito o que era suposto para os receber. Aproveitado a boa vida enquanto pode, a verdade é que tal é muitas vezes estragado pelo facto de HP estar constantemente a olhar por cima do ombro, com medo de puder ser apanhado em qualquer momento.

Mas tal como no livro anterior, HP não consegue manter-se afastado do perigo e acaba por usar a identidade de um dos seus grande amigos, um homem com um grande prodígio e muito inteligente, entrando assim num negócio para o qual tem imenso jeito. Um negócio que mais uma vez não é apenas o que parece. Enquanto isso, a sua irmã, Rebecca, está a avançar na sua vida, indo viver com o namorado. Mas quando começam a acusá-la de mil e uma coisas diferentes, Rebecca decide saber o porquê de tudo o que lhe está a acontecer, o que te uma forma inesperada acaba por a levar ao seu irmão mais novo...

Sim, este livro está muito melhor do que o anterior. O drama aumenta drasticamente e vemos como o Jogo era apenas uma pequena parte de um todo. Uma parte muitíssimo pequena. Hoje em dia a tecnologia comanda a nossa vida e é através desta que o Jogo foi divulgado, tal como é através desta que uma maior operação estará a ser levada a cabo. Uma operação que mais uma vez acaba por envolver HP, que se mete literalmente na boca do lobo.

As próprias personagens estão mais cativantes, prendendo-nos mais à narrativa. Acho que como o autor já nos dera a conhecer HP e Rebecca no livro anterior, neste acabou por as fazer ter mais garra e gostei imenso de ver isso. O ritmo da narrativa é alucinante, passando a uma velocidade louca. De um momento para o outro há tantos acontecimentos que apenas queremos continuar a ler para saber que mais se passaria e a própria maneira de ser das personagens permite esse ritmo.

Um livro muito melhor do que o primeiro e que me deixou imensamente curiosa para ler o último da trilogia.

0 devaneios :