Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Guarda-me para Sempre" de Brigid Kemmerer

Passatempo

Passatempo
Até 22 de Julho!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 28 de agosto de 2018
Autora: Lesley Livingston 
ISBN: 9789897731150
Edição ou reimpressão: 07-2018
Editor: Saída de Emergência
Páginas: 320

Sinopse:
Fallon é a filha mais nova de um orgulhoso rei celta e sempre viveu na sombra da lendária reputação da guerreira de Sorcha, a sua irmã mais velha, que morreu em combate quando os exércitos de Júlio César invadiram a ilha da Bretanha.
Na véspera do seu 17.º aniversário, Fallon está ansiosa por seguir os passos da irmã e conquistar o seu legítimo lugar entre os guerreiros reais. Mas ela nunca terá essa oportunidade, já que é capturada e vendida a uma escola de elite que treina mulheres gladiadoras — e cujo patrono é o próprio Júlio César. Numa cruel reviravolta do destino, o homem que destruiu a família da jovem poderá ser a sua única hipótese de sobrevivência.
Agora, Fallon terá de ultrapassar rivalidades perversas e combates mortais — dentro e fora da arena. E talvez a maior ameaça de todas: os seus sentimentos proibidos, porém irresistíveis, por Cai, um jovem soldado romano.


Opinião:
Li a sinopse, vi a capa... Não consegui de forma alguma resistir a ler este livro. Parecia ser o género de livro que gosto e que não leio há algum tempo e isso deixou-me ansiosa para lhe pôr as mãos em cima.

Fallon é filha de um rei celta. Uma rapariga de 16 anos orgulhosa e que quer honrar a falecida irmã. Apesar da tristeza dessa perda (e de todos os guerreiros falecidos na mesma altura) que os habitantes da sua ilha têm, essa foi uma batalha assinalada pela liberdade ganha da ilha e por isso Fallon não podia ser mais feliz, especialmente porque para além de ter na luta uma paixão, também era apaixonada por Mael, uma paixão correspondida que a fazia sentir-se a pessoa mais amada do mundo.

Mas quando faz 17 anos tudo cai por terra, pois quando achava que o pai a ia tornar uma das suas mulheres gladiadoras, tal como a sua irmã, descobre que este apenas anuncia o seu noivado com o irmão mais velho de Mael. A partir daí tudo corre pelo pior, perde pessoas que ama e é capturada por vendedores de escravos que a vendem para usar as suas habilidade de luta na arena, tornando-se assim uma das gladiadoras de Júlio César.

Sim, foi um livro que gostei. Mal entramos na narrativa temos imensos acontecimentos a suceder, a autora não nos deixa muito tempo para apresentações e rapidamente passamos para a ação. Acompanhamos Fallon durante todo o percurso e percebemos desde o começo como estamos perante uma personagem decidida e muito forte, que sabe o que quer. Apesar disso vemos o seu lado romântico, o carinho que tem para com aqueles que gostam dela e se preocupam com ela, o que no meio da sua perseverança acaba por torná-la mais humana, dando assim ao leitor uma personagem mais real e com quem podem sentir uma maior ligação.

Apesar de toda a ação decorrer em redor de Fallon, acabamos por conhecer imensas personagens que nos marcam quer pela positiva quer pela negativa. Conhecemos Mael, um rapaz de excelentes famílias e por quem Fallon está apaixonada, o irmão de Mael, um rapaz cruel e que apenas quer ser superior, a irmã de Fallon, que acaba por se mostrar alguém preocupado com os seus e com um carinho pelos outros que inicialmente não pensamos que a possa caracterizar, entre outros. Entre estes outros destaca-se Caius (ou Cai) um dos melhores soldados romanos que tem um carinho "interessante" por Fallon, ajudando-a e apoiando-a quando esta se torna gladiadora, mesmo quando esta não o quer.

De referir que adorei as cenas em que Júlio César e a Cleópatra entravam. Achei imensa "piada" a esses momentos e fez-nos entrar mais no clima do livro.

A única coisa que me fez sentir "enganada" no livro foi como a Fallon que nos era apresentada em texto não correspondia - pelo menos para mim - à Fallon que tinha determinada ações durante a narrativa. Ou seja, podíamos ler um retrato de Fallon em que nos diziam que ela era muito boa lutadora, mas depois quando "líamos" as suas ações durante uma batalha percebíamos que talvez não fosse bem assim. Esta foi a maior ambiguidade que encontrei e que me fez mais "comichão", mas não foi algo de que forma alguma de fizesse desgostar da narrativa, pois tenho a dizer que gostei muito deste livro.

Vai ser sem dúvida uma saga que irei acompanhar e tenho curiosidade em saber como irá continuar a aventura de Fallon e como a escrita da autora se irá desenvolver no avançar dos livros.

0 devaneios :