Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Dia em que Perdemos a Cabeça" de Javier Castillo

Passatempo

Passatempo
Até 28 de fevereiro!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 26 de agosto de 2018
Autora: Tessa Dare
ISBN: 9789898869531
Edição ou reimpressão: 10-2017
Editor: TopSeller
Páginas: 304

Sinopse:
Spindle Cove é uma pequena vila de jovens solteiras. O sítio perfeito para encontrar uma noiva. Griffin York, o Duque de Halford, não tem qualquer intenção de se casar, mas a sua diabólica mãe obriga-o a escolher uma noiva entre as jovens de Spindle Cove. Griff decide dar uma lição à mãe que acabará de vez com a sua obstinação: a jovem que escolhe para casar é uma criada.
Pauline Simms é uma mera criada, mas tem sonhos mais altos, que não envolvem casar. É, por isso, a escolha perfeita para o duque de Halford. Sobrecarregada de trabalho e vivendo com dificuldades, Pauline sonha deixar de ser criada e abrir uma biblioteca, o que parece poder tornar-se realidade quando Griff lhe propõe uma pequena fortuna por uma simples missão. Terá de submeter-se ao «treino para duquesa» da mãe e… falhar redondamente. Conseguirão eles manter-se fiéis às suas convicções?
Griff nunca pensou que Pauline, uma mulher tão imperfeita à primeira vista, fosse, afinal, tão corajosa e encantadora. Já Pauline está determinada a ser um completo fracasso perante a sociedade londrina, mas é-lhe difícil ceder aos encantos do duque.
Serão eles capazes de resistir às reviravoltas do destino?


Opinião:
Mais um livro que adorei de uma autora que adoro! E gostei imenso da sinopse deste. Se por um lado parece demasiado "comum", por outro todas as suas nuances o tornam diferente e especial. Uma boa leitura que me prendeu do início ao fim.

A mãe de Griffin York entra em desespero... O filho tem que casar, tem que continuar o ducado e ter um herdeiro. Mas o filho não parece ter interesse algum pelas raparigas londrinas... Até que esta tem uma ideia, levá-lo para o sítio com todas as solteiras que, por algum motivo, não se encontram casadas mas que em simultâneo são completamente apresentáveis para um duque - levá-lo a Spindle Cove.

Mas Griffin está decidido a fazer a vida negra à mãe, afinal esta só o atormenta com o casamento não é? E quando a mãe lhe diz que pode escolher qualquer mulher dali, Griffin apenas para a irritar escolhe a única que não "pertence" ao seu estatuto, a empregada de mesa do pequeno bar de Spindle Cove. Uma rapariga simples, que graças àquele trabalho consegue ajudar a alimentar a sua família. Uma rapariga que aceita ser a noiva de Griffin. O combinado? Fazer o máximo para não aprender nada com a duquesa e mãe de Griffin para no final ser mandada para casa, com um elevado valor dado por Griffin, sem a mãe saber claro!

Gostei muito das personagens. Gostei de como Griffin cresceu ao estar com Pauline. Se por um lado Pauline cresceu em confiança e em "maneirismos" devido ao ensino da duquesa, Griffin cresceu mesmo como pessoa, como ser humano. Via mais as pessoas e não apenas a si mesmo e ao que queria. Tornou-se mais humano e isso é algo que acompanhamos ao longo do livro.

A duquesa também me surpreendeu pela positiva. Pouco surgia na narrativa, mas quando o fazia demonstrava que realmente não se importava que Pauline viesse de baixo, antes pelo contrário. Deixava marca pelos seus comentários e demonstrava que conhecia o filho melhor do que o próprio, o que achei muito engraçado.

Sim, temos uma história que tem um fundo comum, mas a escrita da autora e as personagens que esta criou tornam-na em algo mais. Algo que não resisti a ler e que gostei muito. Recomendo a todos e quem ainda não conhece esta autora não sabe o que está a perder!

0 devaneios :