Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Casa Misteriosa" de Marzia Bisognin

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 29 de outubro de 2015
Autor: Tom Rob Smith
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 368
Editor: Marcador
ISBN: 9789897541117
Coleção: Marcador Literatura

Sinopse:
A União Soviética de Estaline é, oficialmente, um paraíso, onde os cidadãos vivem livres do crime e apenas temem uma coisa: o todo-poderoso Estado. Defendendo este sistema, temos o oficial de segurança Leo Demidov, um herói de guerra que acredita no punho de ferro da Lei.
Mas quando um assassino começa a matar indiscriminadamente e Leo se atreve a investigar, este obediente servidor do Estado dá por si despromovido e exilado. Agora, apenas com a sua mulher ao seu lado, Leo tem de se debater para descobrir verdades chocantes a respeito de um assassino - e de um país onde o crime supostamente não existe.


Opinião:
Um livro que se tornou um filme. Admito que ainda não vi o filme, mas fiquei curiosa com a sinopse do livro e quis imenso lê-lo. Já em relação à capa, compreendo que seja um truque de marketing, mas não gosto nada de capas que são os posteres dos filmes. Gosto de capas próprias, capas de livros, se é que me entendem.

A segunda guerra mundial é uma altura negra na história da humanidade. Crimes comedidos pelos motivos mais idiotas possíveis e assassinos que se denominavam líderes de uma comunidade que vivia em medo de tudo e todos aqueles que os rodeavam. Muitos romances foram escritos do ponto de vista das principais vítimas. Todos sabemos os horrores por que passaram, e sabemos, pelo menos teoricamente o que sofreram. Mas poucos livros existem sobre aqueles que os mataram, aqueles que os fizeram sofrer. Sobre o porquê de seguirem aquelas ordens, sobre as crenças desses homens. Este é um livro que apesar de ser ficção, vira-se um pouco para esse tema. Leo Demidov é um oficial de alta patente na época de Estaline. Um dos homens de confiança do exército e um dos que aplicava as regras dessa época. Um homem que se orgulhava do seu trabalho e que acreditava estar a tornar o mundo um lugar melhor.

Mas é também um homem que põe em causa as suas crenças quando um crime horroroso de um rapaz que foi assassinado a sangue frio é varrido para baixo do tapete para o governo não se mostrar fraco e disfuncional. Decidido a tentar perceber o que se passara ali na realidade, é a vez de Leo, um verdadeiro amante da política em que vive, ver-se afetato pelos princípios que tanto defende. É nessa altura que compreende que talvez nem tudo devesse estar como estava e que o mundo estava virado de pernas para o ar, estando a lei a ser tudo menos respeitada.

Foi um livro em que me custou a entrar na narrativa, pelo menos a princípio. Com o andamento da narrativa comecei a gostar do que estava a ler e não só a história me prendia, como adorei as personagens. São personagens fortes e foram muitíssimo bem aprofundadas. Bem estudadas e muitíssimo bem caracterizadas. A luta interior de Leo entre o que está certo e errado e as normas e regras em que acreditou toda a vida são o fio condutor da história e é esse fio que me prendeu até ao final de toda a narrativa.

Um livro em que me custou entrar, mas quando entrei na narrativa não a consegui largar!!

0 devaneios :